A necessidade de prevenir a infeção e retardar a transmissão da COVID-19 através do uso de géis hidroalcoólicos não enxaguáveis para as mãos tem determinado uma procura exponencial destes produtos, os quais muitas vezes são colocados erroneamente no mercado como produtos cosméticos.

Não havendo impedimento legal para que um produto cosmético contenha álcool, muitos produtos para a higiene das mãos contêm esta substância para facilitar a sua evaporação, assim como os perfumes. No entanto, existem elementos de rotulagem que não suportam a função cosmética principal de tais produtos, como é o caso de determinadas alegações, referências, alusões a doenças e algumas figuras ou elementos gráficos.


CONFIRA:

Siga-nos