A 3ª edição de 2021 do Boletim de Farmacovigilância, referente aos meses de julho a setembro, tem como tema “Reações de Hipersensibilidade às Vacinas para Covd-19".

De acordo com a publicação, as vacinas contra o vírus SARS-COV-2 são atualmente a resposta mais promissoras para o controlo da pandemia da Covid-19. No entanto, a possibilidade de ocorrência de possíveis reações adversas às vacinas, suscita ainda alguma hesitação vacinal pelo que importa salientar que, à semelhança de qualquer medicamento, as vacinas também apresentam um potencial de desencadear reações adversas e reações de hipersensibilidade.

As reações de hipersensibilidade conhecidas também como reações alérgicas, constituem, respostas imunológicas exageradas ou inadequadas ao antígeno ou a outros componentes da vacina. Teoricamente, qualquer componente de uma vacina pode provocar uma reação de hipersensibilidade. Contudo, estas são geralmente desencadeadas por adjuvantes e outros excipientes, e não propriamente pelo componente ativo (antígeno), apesar de não ser possível desconsiderar totalmente o papel deste ultimo.


CONFIRA:

Siga-nos