A Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS), a Ordem dos Farmacêuticos de Cabo Verde (OFCV) e a Ordem dos Médicos Cabo-verdianos (OMC) juntam-se ao Uppsala Monitoring Centre (UMC), às autoridades reguladoras do medicamento e aos centros nacionais de farmacovigilância em todo o mundo para promover de 07 a 13 de novembro de 2022, uma campanha online em comemoração da Semana Internacional da Segurança do Medicamento (SISM), com o objetivo de sensibilizar para a importância da notificação de efeitos adversos com medicamentos.

A campanha global deste ano envolve agências reguladoras de medicamentos de 82 países e se concentra no papel fundamental de cada profissional de saúde, utente e cuidador que notifica uma suspeita de reação adversa e contribui para o uso seguro de medicamentos.

A Semana Internacional da Segurança dos Medicamentos - #MedSafetyWeek - organizada pelo UMC, o centro colaborador da Organização Mundial da Saúde (OMS) que gere o Programa Mundial de Monitorização de Reações Adversas a Medicamentos é um evento online que vem sendo realizado desde 2016 e visa a participação voluntária de todos os países que fazem parte do Programa Mundial de Monitorização de Reações Adversas a Medicamentos da OMS, tendo como objetivos:

  • incentivar a população a identificar e a notificar efeitos adversos com medicamentos;
  • divulgar a informação sobre como pode ser feita a notificação de efeitos adversos;
  • sensibilizar a população para o uso seguro de medicamentos;
  • aumentar a consciencialização sobre os processos de farmacovigilância e a existência de centros nacionais de farmacovigilância.


CABO VERDE

Em Cabo Verde, desde 2010, vem sendo realizadas várias atividades com vista à consolidação do Sistema Nacional de Farmacovigilância, com a publicação, em 2017, do Decreto-Lei n.º 17/2017, que institui o Sistema Nacional de Farmacovigilância e da Deliberação n.º 05/2017, que aprova o Regulamento de Farmacovigilância.

Além do enquadramento legal, as atividades de farmacovigilância incluem, dentre outras, a monitorização da segurança dos medicamentos, a publicação de alertas e circulares informativas, o envolvimento das estruturas de saúde do país através da criação de uma rede de pontos focais (gestores de risco) e através das ações de sensibilização e formação. A formação em farmacovigilância nas universidades, escolas e associações de doentes ou consumidores e a participação em eventos na área de saúde são outras atividades realizadas no âmbito da farmacovigilância.

De referir que a ERIS coordena o funcionamento do Centro Nacional de Farmacovigilância (CNF), em articulação com o órgão competente do Governo de Cabo Verde, responsável pela pasta da saúde. O CNF é um centro único reconhecido pelo Governo, com conhecimento clínico e científico para recolher, analisar e orientar toda a informação relacionada com a qualidade, segurança e eficácia dos medicamentos.

 

Junte-se à #MedSafetyWeek!

 


Em caso de suspeitas de efeitos adversos com medicamentos, notifique aqui.

Siga-nos