A Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS) participou de 15 a 17 de novembro de 2022, no Workshop Regional de Produtos médicos de qualidade inferior e falsificados, realizado em Joanesburgo (África do Sul).

Direcionado aos pontos focais nacionais da Organização Mundial da Saúde (OMS) para produtos de qualidade inferior e falsificados (SF), a atividade contou com a presença de autoridades reguladoras nacionais e ministérios de saúde dos estados membros, bem como, com representantes de entidades regionais.

O evento teve como objetivo revisar relatórios de projetos, pesquisas e programas relacionados aos produtos SF concluídos e que foram realizados desde 2020 até o momento, compartilhar informações sobre os planos para 2023 e também, treinar pontos focais na funcionalidade da nova versão do Sistema Global de Vigilância e Monitoramento da OMS (GSMS) para melhorar a comunicação de incidentes de SF nos estados membros na região africana.

A OMS reconhece que os produtos médicos de qualidade inferior e falsificados são uma ameaça constante, generalizada e inaceitável à saúde pública. Eles prejudicam os pacientes, reduzem a confiança nos sistemas de saúde, desperdiçam recursos e contribuem para a resistência antimicrobiana. Em 2017, a OMS estimou que mais de 1 em cada 10 medicamentos em países de baixa e média renda estavam abaixo do padrão ou falsificado.

De referir que a OMS criou o Sistema Global de Vigilância e Monitoramento (GSMS) em produtos médicos de SF que reúne uma base de evidências, a fim de permitir o desenvolvimento de estratégias e tomada de medidas.

Em representação da ERIS, o Presidente do Conselho de Administração, Eduardo Tavares, e o técnico da Direção de Regulação Farmacêutica (DRF), José Carlos Carvalho, participaram no evento.

Siga-nos